O ciclo do óleo vegetal

Quando compramos um litro de óleo vegetal não é costume pensarmos em seu processo produtivo e naquilo que acontece depois de utilizarmos o óleo. Porém, o óleo vegetal tem um ciclo extenso que começa no campo, onde os agricultores semeiam a soja e fazem sua colheita para então esta ser encaminhada para as indústrias que fabricam o óleo de soja. Acompanhe um pouco mais sobre este processo e também descubra até onde vai o ciclo do óleo vegetal de soja.

o ciclo do oleo

O óleo de soja

Existem diversos tipos de óleo vegetal que são utilizados nas cozinhas de residências, bares e restaurantes e também pela indústria alimentícia para fabricação de seus produtos. Porém, o óleo mais popular é o de soja, presente na grande maioria das casas e utilizado para fazer frituras, principalmente.

A soja é uma planta da família das leguminosas, que assim são denominadas por trazerem suas sementes no interior de vagens. O óleo da soja é extraído de suas sementes, e por isso, é feita a colheita dos grãos de soja e estes são levados para a extração do óleo e depois para sua comercialização. Veja a seguir como é feita a extração do óleo de soja:

Opção 1:

1 – As sementes da soja são levadas para uma prensa onde são submetidas à alta pressão até que seja extraído todo o óleo que possuem. Durante esse processo é gerado calor, e por isso, o óleo extraído terá um sabor forte e também uma cor escura.

2 – O óleo escuro é levado para o processo de clarificação, onde serão eliminadas impurezas, ele será refinado e ficará com a coloração mais clara, sem a presença de partículas ou corpos estranhos. O resultado desse processo é um óleo virgem.

Opção 2:

O óleo pode ser extraído em prensas que trabalham a frio, mas o custo da extração é maior e encarece o produto final, embora este tenha uma qualidade superior ao óleo aquecido. Também a quantidade de óleo extraída da soja é menor do que no processo da prensa quente.

Opção 3:

1 – É feita a colheita das sementes e elas são limpas e secas para começar o processo de extração do óleo.

2 – As sementes são fatiadas para facilitar a extração.

3 – As sementes são misturas ao hexano, composto químico capaz de se misturar ao óleo vegetal. Ele dissolve as gorduras presentes nos grãos da soja e as separa do farelo.

4 – O óleo é fervido em seguida para que o hexano se evapore e reste apenas o óleo da soja, que é então encaminhado para a refinaria onde são extraídas impurezas e ele estará pronto para ser embalado.

O óleo na cozinha

Nessa etapa do ciclo do óleo vegetal temos esse presente nas cozinhas, onde será utilizado para o preparo dos alimentos. Porém, depois de utilizado não é interessante reutilizá-lo, porque pode trazer danos para a saúde das pessoas. Com isso, o que muita gente faz é descartar esse óleo.

Esse descarte é feito, na grande maioria das vezes, na pia da cozinha ou então diretamente no solo e ainda no lixo comum. Mas, essa prática polui a água, o solo e o ar, portanto, o ideal é armazenar o óleo e encaminhá-lo para postos de coleta, onde será destinado às empresas que fazem a reciclagem.

A reciclagem do óleo de soja: o biodiesel

O óleo de cozinha usado deve ser armazenado em garrafas pet e encaminhado para postos de coleta, que geralmente são ONGs, escolas e empresas ligadas aos programas de reciclagem desse material. O óleo vegetal usado é matéria prima para diversos produtos, como rações para animas, resinas, sabão, detergente e até mesmo o biodiesel.

O biodiesel é um combustível que pode ser utilizado em motores veiculares e que não tem o mesmo potencial poluente dos outros combustíveis. As grandes vantagens do biodiesel são que ele não gera gás carbônico e ainda se trata de um produto sustentável. Os vegetais para extração do óleo e consequentemente a produção do biodiesel podem ser replantados, e assim, não depende das reservas de petróleo para fabricar o combustível veicular.

Por isso, é essencial que a população seja conscientizada da necessidade de armazenar o óleo de cozinha usado e encaminhá-lo para os postos de coleta. Com a reciclagem do óleo vegetal evitamos a poluição que este poderá acarretar e ainda podemos fabricar um combustível biodegradável com potencial poluidor muito inferior ao óleo derivado do petróleo. E assim, com a mesma soja colhida no campo, as pessoas utilizam o óleo em sua alimentação e em seguida para sua locomoção.

Featured Posts
Posts em breve
Fique ligado...
Recent Posts